Inscrições SARU-2017

Para alunos da UNIFACS, os trabalhos referentes à XIV Semana de Análise Regional e Urbana - SARU serão aceitos até o dia 30/08/2017 . Com o tema "Cultura, Criatividade e Desafios Contemporâneos", poderão ser explorados conteúdos a partir dos seguintes Leia Mais

Inscrições XIV SARU 2017

Estão abertas as inscrições para XIV SARU Todos os detalhes sobre o evento você encontra SARU UNIFACS Clique aqui para acessar sua  Ficha Inscrição SARU 2017  , preencha e e envie para o e-mail: [email protected] e participe do maior evento de Análise Leia Mais

Stricto Sensu - Seu Jornal Acadêmico

O Stricto Sensu é um informativo digital, direcionado a comunidade acadêmica, dirigido pelo professor Dr. Noelio Dantaslé Spinola, fundador do Programa de Pós-Graduação de Desenvolvimento Regional e Urbano - PPDRU da Universidade Salvador - UNIFACS,  organizado e editado por Leia Mais

Semana de Análise Regional e Urbana - SARU 2017

Acontece em outubro a Semana de Análise Regional e Urbana - SARU, em sua XIV edição, onde será abordado o tema Cultura, Criatividade e Desafios Contemporâneos, a socialização do conhecimento através do o maior evento da comunidade acadêmica, organizado Leia Mais

CALENDÁRIO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS À XIV SARU

-> Período de submissão: de 12 de Junho a 31 de Julho de 2017 -> Resultados da seleção: 25 de Agosto de 2017 -> Prazo final para envio por e-mail dos artigos ajustados, pôsteres e respectivas apresentações digitais: 25 de setembro de 2017 -> Leia Mais

Doutorado sanduíche em Braga, Portugal

Publicado em by Stricto Sensu em Por Onde Anda? | Deixe um Comentário  

Entrevista com Aline Gomes

Foto: Arquivo pessoal Aline Gomes

Aline Fonseca Gomes é uma valente sertaneja baiana que saiu de Feira de Santana para fazer o seu doutorado na Universidade Salvador, no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Urbano (PPDRU). Orientanda do Prof.Dr.Noelio Dantaslé Spínola ela desenvolve uma pesquisa que resultará na tese intitulada: “O Desenvolvimento Local e a Cultura Organizacional: Um estudo comparativo entre o Centro Industrial do Subaé – CIS e o Centro Industrial do Minho”. Como ela mesma relata, com apoio da UNIFACS/PPDRU, conseguiu uma bolsa sanduíche da CAPES e partiu para um ano de pesquisa na região industrial do Minho, instalando-se na cidade de Braga, Norte de Portugal, onde segue a orientação do Prof.Dr. José Cadima Ribeiro, catedrático e diretor do departamento de Economia da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho. Em outubro de 2011, Aline apresentou o seu III Seminário de Pesquisa, na Faculdade de Ciências Econômicas da UM, em Portugal, para uma banca composta pelos seus dois orientadores (Prof. Noelio e Prof. Cadima), logrando a aprovação necessária. Já de volta ao Brasil, em janeiro de 2013 defenderá a sua qualificação, último passo que antecede à defesa da tese que está prevista para fevereiro de 2013. Após a realização do Seminário Aline concedeu entrevista à equipe de reportagem do Stricto Sensu, como transcrito a seguir:

Imagem Adaptação: Rafael Coelli


Stricto Sensu:
Por que você decidiu fazer o “doutorado sanduiche”?
Aline Gomes: Por que acreditei que o “doutorado sanduiche” me possibilitaria o acesso a novos conhecimentos e ao meu crescimento pessoal e profissional, e assim está ocorrendo.

Como é que funciona este programa?
Eu cumpri os créditos das disciplinas no Brasil, na UNIFACS e estou realizando parte da minha pesquisa da tese em Portugal, onde possuo um orientador que orienta e supervisiona as minhas atividades de pesquisa em Portugal, durante 12 meses.

Por que Braga em Portugal?
Por que como sou funcionária pública da Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS fui à busca de alguma Instituição Estrangeira cuja mesma possuía algum tipo de convênio com a UEFS, e então a Assessoria de Relações Internacionais me direcionou para a Universidade do Minho – UM que se situa em Braga – Portugal, e então, eu enviei meu projeto para um professor da área que se interessou e então, recebi a carta convite para realizar a pesquisa na UM.

Qual foi o apoio recebido da Capes para sua permanência em Portugal?
Bolsa Estágio de Doutorado, que inclui auxílio-mensalidade, auxílio-deslocamento (passagens de ida e de volta), auxílio-instalação e seguro saúde.

O apoio recebido $$ dá para você sobreviver aí ou precisa de socorro do Banco Pai?
Dá para sobreviver.

Valeu à pena? O que foi melhor e o que foi pior nesta experiência?
Está valendo muito a pena. O melhor dessa experiência é a possibilidade de conhecer bem de perto novas culturas, participar de Congressos Internacionais (inclusive publicar artigos em tais congressos), conhecer a dinâmica de uma Universidade Européia, além de fazer muitas amizades e estabelecer redes de contatos acadêmicos e profissionais. O pior é ficar longe da família.

E os “gajos” portugueses? São atrevidos como os nossos “tapuias”?
São gente boa, super respeitadores

A diferença cultural é grande? Aí tem feijoada?
O sotaque é diferente, as comidas são diferentes (deliciosas), é outra realidade… cidade calma, sem violência, com tudo de conforto e serviços que uma grande cidade oferece. Aqui tem feijoada sim, com feijão branco e polvo, que inclusive meu orientador brasileiro, o Prof. Noelio adorou.

Qual a sua avaliação da Universidade do Minho? E do seu orientador português…!
Fui muito bem recebida na Universidade do Minho, que é uma excelente Instituição, inovadora e aberta a parcerias. Eu estou muito satisfeita com o meu orientador português, pois ele tem me fornecido orientações brilhantes, muito material novo, inovador e críticas interessantíssimas para o melhor desenvolvimento da minha tese. Aliás, que em matéria de Desenvolvimento Regional, e Economia Local eles estão bem avançados no que se refere à literatura disponível para pesquisa.

Quais foram os maiores impactos culturais que você experimentou neste intercâmbio?
A diferença do sotaque, a gentileza dos portugueses, a segurança das cidades e a cultura organizacional das indústrias visitadas durante a pesquisa de campo.

Como você avalia o valor que a experiência do Doutorado Sanduíche agregou a sua carreira?
Contribuiu positivamente para minha formação como administradora, como professora, como pesquisadora e como pessoa. Cresci muito durante esses 12 meses. Foram marcantes e servirão de base para toda a minha vida profissional e pessoal.

Que conselho você daria a outros colegas que quisessem seguir seu exemplo?
Que vale a pena! Não é fácil… é correria para atender aos pré-requisitos da CAPES, é se instalar em um local novo, onde não se conhece ninguém. Mas é recompensador… CRESCER, aprender mais e mais, conhecer novas culturas, descobrir novas possibilidades, oportunidades e conhecimentos. Sei que a realização do “doutorado sanduiche” vai acrescentar muito ao meu currículo e a minha vida. Gostaria, então, deixar um pensamento de certo português “[…] Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena” Fernando Pessoa

O Programa Institucional de Bolsas de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE) da Capes é regulamentado pela Portaria n° 95 de 22 de junho de 2011, publicada no DOU nº 122, de 28 de junho de 2011, p.9.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.0/5 (2 votes cast)

Doutorado Sanduíche

Publicado em by Diretor Executivo em Por Onde Anda? | 1 Comentário

Gilton Aragão é um técnico experiente sendo o seu doutorado, concluído no final de outubro deste ano, o coroamento de uma bem sucedida carreira acadêmica e técnica. Só para exemplificar, destacamos do seu longo currículo que é Mestre em Economia pela Universidade Federal da Bahia (1988; Pesquisador; Consultor; Professor do Curso de Economia da Universidade Estadual de Feira de Santana; Autor do Livro: Cooperativismo e Gestão Agroindustrial, o caso da CCLB. Vice-Presidente do Instituto de Pesquisas Sociais (IPS.). Fez seu doutoramento em Desenvolvimento Regional e Urbano na Universidade Salvador (UNIFACS), com Doutorado Sandwich na HEC Montreal, afiliada a Université de Montréal – Canadá Leia Mais

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 4.8/5 (5 votes cast)